As análises físico-hídricas realizadas pelo Laboratório Athenas são:

Determinação da Densidade do Solo, Densidade das Partículas, Macro e Microporosidade, Porosidade Total, Capacidade de Campo (CC), Ponto de Murcha Permanente (PMP), Água Armazenada, Água Disponível e Curva de Retenção de Água.

 

Aplicações:

• Determinação da CAD e turnos de rega;

• Monitoramento da água disponível;

• Estimativa da compactação e definição de formas e profundidades do preparo do solo.

 

As análises físico-hídricas referem-se às determinações da densidade do solo (estrutura original) e densidade das partículas (solo desagregado), além da determinação do teor de água no solo sob distintas tensões, elaborando-se, a partir destas, a curva de retenção de água.

Através da determinação da umidade do solo na capacidade de campo (CC) e no ponto de murcha permanente (PMP), obtém-se por diferença a água disponível (AD = CC – PMP), que, multiplicada pela profundidade do sistema radicular (L), define a capacidade de água disponível (CAD = AD x L).

Utilizando-se os resultados destas determinações, também podem ser estimadas a macroporosidade, microporosidade e porosidade total.

Características físico-hídricas (macroporosidade, microporosidade, porosidade total e densidade do solo) das unidades de manejo LVPmd-ar/md e LVPmd/md-arg.

 

Solos com maiores valores de água disponível atribuem às culturas melhores desempenhos por ocasião de veranicos. A título de ilustração estão contidos na tabela a seguir alguns valores de CAD (L = 100 cm de profundidade) para distintos solos caracterizados e classificados pela Athenas.

As curvas de retenção de água atingem 25 a 35% do volume do solo na tensão de 0,001 Mpa (solo saturado) para as profundidades 0-15 cm e 15-30 cm. À profundidade de 30-50 cm (areia branca) a umidade máxima de saturação tende a zero (3% de umidade volumétrica).

 

Contraste entre as curvas de retenção de água de perfis com características bastante distintas. A e B – argissolos – coesos com baixa organização estrutural. C e D – latossolos muito argilosos com elevada percentagem de microagregação. E – latossolos vermelhos textura média-argilosa com baixa microagregação e moderada microagregação.

 

Conteúdos de água (mm) em perfis representativos de unidades de manejo de solos (100 cm de profundidade), classificada como: retida, de drenagem e disponível.

O valor da CAD constitui-se de atributo edafológico (solo x planta) de grande importância na avaliação do potencial dos solos. Cita-se como exemplo, no manejo da cana-de-açúcar, a tendência de ajuste de variedades tardias para solos de CAD elevada, enquanto que para os períodos iniciais/meados de safra são posicionados solos de menores CADs. No manejo de culturas anuais, para safra e safrinha (soja e milho, por exemplo), ajustam-se solos de CAD alta, enquanto que solos com CAD baixa seriam reservados à produção de apenas uma safra de verão.

Os valores de CAD dos solos de uma propriedade também são utilizados para o cálculo do balanço hídrico para cada ano agrícola, que obviamente utiliza os valores de precipitação e temperatura.

O conjunto de informações obtidas nas análises físico-hídricas, aliado aos resultados químicos e físicos, é extremamente importante para a interpretação dos potenciais e das restrições dos solos e, consequentemente, dos resultados agrícolas obtidos, constituindo-se de informações imprescindíveis para elaboração de todo o planejamento agrícola, além de fundamentar toda a sistematização no que se refere à cultura da cana-de-açúcar.

 

navigation

Voltar ao Topo